fbpx
0

Blog

Saiba como criar uma estratégia de conteúdo baseada em vídeos

Engana-se quem pensa que apenas artigos e blog posts podem fazer parte de uma estratégia de conteúdo. Os vídeos estão em alta e têm se tornado uma excelente ferramenta para as empresas que utilizam o marketing de conteúdo para obter mais resultados com os seus públicos.

A versatilidade e variedade de conteúdos que podem ser criados em vídeo, como depoimentos de clientes, tutoriais, webinars, entre outros tipos, fazem com que o conteúdo audiovisual possa ser aplicado em todas as etapas do funil de vendas do inbound marketing.

Além disso, os vídeos podem ser publicados em canais diversos como o YouTube, o Facebook e também incorporado a conteúdos textuais em plataformas como o WordPress, o que facilita a inclusão como um complemento dos artigos dos blogs da empresa.

Para que você saiba como criar uma estratégia de conteúdo baseada em vídeos que realmente traga resultados para a sua empresa, desenvolvemos uma série de dicas que você pode colocar em prática. Não deixe de acompanhar os tópicos a seguir!

Busque temas relevantes para o seu público

É importante que você conheça muito bem o público-alvo e as personas da sua marca, pois assim poderá criar vídeos com temas que são realmente interessantes para a sua audiência.

Conforme dito anteriormente, existem diversos tipos de conteúdo audiovisual que você pode produzir de acordo com o objetivo da sua estratégia.

Provocar emoções, usar referências que marcaram o seu público, utilizar o bom humor e praticar a prestação de serviço por meio de dicas e tutoriais são ações relevantes para obter sucesso em uma estratégia embasada de vídeo.

Crie uma periodicidade para seus conteúdos em vídeo

Se você ligar a televisão em um determinado horário da noite, sabe que poderá assistir a um telejornal e na sequência a uma novela, não é mesmo? Essa grade de programação estável é um dos fatores que os especialistas classificam como um dos motivos de a rede Globo estar na liderança durante anos, pois seus horários são os mesmos há décadas.

Na internet, deve-se seguir uma premissa parecida, sendo necessário criar um hábito para os seus seguidores, de modo que os vídeos não podem ser publicados de maneira aleatória.

Se você for produzir um vídeo por semana, por exemplo, deve fixar uma data para publicá-lo, como toda quinta-feira às 10 da manhã. Assim, a sua audiência saberá que todos as semanas, nesse horário, haverá um novo vídeo publicado em seus canais,

Pense em uma linguagem adequada

Os vídeos que você produz precisam falar a mesma língua do seu público. Isso quer dizer que, se a sua marca for voltada para pessoas mais jovens e descoladas, pode apostar no bom humor, com referências aos memes da internet no momento, etc.

Já para um público mais conservador e sério, esse tipo de linguagem pode não ser muito bem-aceita, sendo preferível o uso de um vídeo mais tradicional, com uma linguagem mais formal.

Mais uma vez voltamos à questão do conhecimento do público, algo que é fundamental para a execução de qualquer estratégia de marketing, pois as pessoas precisam se identificar com aquilo que está sendo dito pela sua marca.

Conheça as plataformas mais utilizadas pelo seu público

O YouTube é o canal de vídeos mais popular no mundo, sendo indicado para você ter um perfil nessa rede social de conteúdo audiovisual. No entanto, ele não é o único lugar em que você pode postar seus vídeos.

Concorrentes do YouTube, como Vimeo e o Dalymotion, também têm uma base de usuários bastante grande, podendo ser útil investigar se o seu público tem o hábito de assistir vídeos nesses sites.

Também é possível publicar o seu vídeo no Facebook, porém se recomenda sempre que a publicação seja feita na própria rede social, em vez de incorporar o link do vídeo no YouTube. Isso se justifica pelo fato de as empresas serem concorrentes e o Facebook priorizar a entrega de vídeos publicados em sua própria plataforma.

Invista em diferentes tipos de vídeos e conteúdos inovadores

Para que o seu público possa apreciar e se engajar com a sua marca, recomenda-se que você invista em diferentes tipos de conteúdo em vídeo, atuando de maneira inovadora.

Listamos os principais tipos de conteúdo em vídeo que você pode utilizar em suas estratégias. Veja!

Storytelling

O storytelling é uma estratégia que busca contar histórias para as pessoas. Assim, você pode desenvolver uma websérie envolvendo a sua marca e gerar engajamento com o público. Os vídeos podem ser uma sequência, como se fosse mesmo uma novela ou série de TV.

Webinar

Uma webinar é uma espécie de videoconferência em que uma pessoa da sua marca pode falar com a audiência, como se fosse em uma palestra. O diferencial dessa modalidade é que as pessoas que estão acompanhando o vídeo podem enviar perguntas para serem respondidas ao vivo.

Transmissões ao vivo

O Facebook e o YouTube, entre outras plataformas, possibilitam que sejam feitas transmissões ao vivo nas páginas das empresas. Isso é muito útil para que você possa mostrar acontecimentos para o seu público em tempo real, como fazer a cobertura de eventos patrocinados pela marca ou fazer o lançamento de um novo produto.

Transcrição de conteúdo

Se você tiver um post no blog da sua empresa que gere muitos acessos, pode aproveitar o interesse que as pessoas têm por esse assunto para criar um vídeo, explicando aquele assunto com maior riqueza de detalhes.

O mesmo pode ser feito de maneira inversa: os vídeos mais acessados em seu canal no YouTube podem ser transcritos em texto para que as pessoas possam fazer a leitura.

Isso é importante pois, além de atingir uma outra parcela de público, se o usuário estiver utilizando uma internet de baixa qualidade, pode ler o texto em vez de ver o vídeo, podendo assisti-lo quando estiver conectado a uma rede Wi-Fi.

E então, gostou das nossas dicas sobre como fazer uma estratégia de conteúdo tendo como base os vídeos? Então agora é só colocar tudo em prática e gerar muito mais engajamento para a sua marca.

Quer saber mais sobre o assunto ou precisa de ajuda para produzir seus vídeos? Entre em contato conosco! Será uma satisfação atender a sua empresa.

Confira 5 filmes inspiradores da Netflix para se emocionar

Às vezes, acordamos um pouco para baixo sem qualquer motivo ou acontece algo ao longo do dia que nos deixa desestimulados. Nessas horas, ver filmes inspiradores pode ser uma excelente solução para que o ânimo volte novamente. Acompanhar histórias de superação faz com que a gente se identifique com o protagonista e se sinta motivado a dar a volta por cima também. Afinal, os vídeos não são importantes apenas para o marketing, eles podem ser usados para o seu bem-estar.

Por isso, decidimos reunir 5 obras-primas do cinema que estão disponíveis na Netflix. É válido lembrar que os filmes entram e saem do catálogo o tempo todo, sendo assim, é possível que alguns desses citados já não estejam mais disponíveis enquanto você lê este artigo. De qualquer forma, vale a pena correr atrás para assistir aos títulos citados.

Quer conhecer a nossa lista de filmes inspiradores? Continue lendo e confira!

1. A Teoria de Tudo

O filme “A Teoria de Tudo” (2014) nos conta a história do físico Stephen Hawking, uma das mentes mais brilhantes que o mundo já conheceu. O livro que inspirou essa obra cinematográfica foi escrito por Jane Hawking, esposa de Stephen. Portanto, podemos acompanhar o lado mais humano do físico e a dura batalha contra a doença que o impossibilitou de mover um músculo sequer, ao mesmo tempo em que vemos as descobertas feitas por esse grande nome da ciência.

2. 12 Anos de Escravidão

Ganhador do Oscar de 2014 em três categorias, incluindo “Melhor Filme” e “Melhor Roteiro Adaptado”, “12 Anos de Escravidão” mostra a trajetória de Solomon Northup — um negro livre que, ao viajar para Washington D.C., foi sequestrado para servir de escravo. Mesmo tendo um documento comprovando o seu direito de viver livremente, ele é ignorado e tem que trabalhar de maneira forçada para um latifundiário.

3. Até o Último Homem

“Até o Último Homem” (2016) é um filme de guerra bem diferente daqueles que estamos acostumados. O protagonista Desmond Doss, interpretado por Andrew Garfield, entra para o exército norte-americano, mas se recusa a pegar em armas para matar os seus inimigos, sua intenção é atuar apenas como médico na guerra. Durante o treinamento ele sofre diversos tipos de agressões verbais e físicas por conta do seu posicionamento, entretanto, mantém-se firme em sua convicção.

4. A Vida é Bela

Temos aqui outro filme que fala sobre a guerra de forma peculiar. “A Vida é Bela” ganhou o Oscar de “Melhor Filme Estrangeiro” (italiano) em 1999 e conta a história de Guido, um judeu que vivia na Itália durante a Segunda Guerra. Como esperado, Guido é mandado para um campo de concentração em Berlim com o seu filho, Giosuè. Para poupar o menino de todo o horror que estava acontecendo, Guido finge que aquilo tudo se trata de um jogo e se preocupa em entretê-lo a todo momento.

5. Fittest on Earth: The Story of 2015 Reebok CrossFit Games

Para finalizar a lista, decidimos trazer um filme do gênero documentário. “Fittest on Earth” mostra uma competição de CrossFit realizada em 2015 para eleger o atleta em melhor forma do mundo. O documentário revela detalhes pouco conhecidos do público, que vão desde os bastidores do torneio até o desempenho dos competidores em diversas provas. Quem acha que já viu de tudo no mundo esportivo, vai se surpreender com “Fittest on Earth”.

Com exceção de “A Vida é Bela”, todos são baseados em histórias reais. Logo, temos uma razão a mais para nos sentirmos motivados ao acompanhar a trajetória dos protagonistas. Assistir aos filmes inspiradores deve fazer parte da rotina — até porque atualmente está mais fácil ter acesso a esses conteúdos por meio das plataformas de streaming, como a Netflix. Então, pare de dar desculpas e comece hoje mesmo!

Gostou da nossa lista? Quer continuar se informando? Então, confira 7 coisas que você precisa saber para ter sucesso com filmes publicitários!

10 tipos de vídeos para a sua empresa alcançar mais sucesso

Existem diferentes tipos de vídeos que podem sem explorados com criatividade e eficiência em suas estratégias de marketing, sabia? E não apenas pela diversidade de conteúdos, mas porque estamos falando de uma das ferramentas de comunicação mais usadas pelos internautas.

Para que você tenha uma ideia, o tráfego online de vídeos vai representar 80% do total até 2020. Ou seja: existe demanda em curto, médio e longo prazo e, por isso, estar à frente da concorrência é fundamental.

E é para agregar ainda mais novidades relevantes para o seu público que criamos este post. Acompanhe e descubra conosco 10 tipos de vídeos que podem ajudar a sua empresa a alcançar mais sucesso! Confira!

1. Entrevistas

Em todo setor do mercado, existe uma ou mais referências profissionais cujas palavras inspiram e criam tendências. E, se você está em busca de vídeos que atraiam clientes até a sua empresa, nós recomendamos que entre em contato com essas pessoas e faça entrevistas com elas.

Afinal, essas produtivas conversas podem ajudar a ampliar sua audiência e a pontuar a sua empresa como uma autoridade no assunto debatido no vídeo. Sem falar na interatividade que pode ocorrer com esses tipos de vídeo quando realizados ao vivo. Os comentários dos espectadores, por exemplo, são de grande valor para o sucesso de sua entrevista.

2. Tutoriais

Se o seu negócio possibilita esse tipo de vídeo, não hesite em criar tutoriais para orientar e educar o seu público-alvo. Assim, eles podem obter uma percepção melhor a respeito de sua marca, que se preocupa em melhorar a experiência deles com os seus produtos ou serviços — mesmo que indiretamente.

3. Divulgação de produtos

Não se trata de um estilo convencional de comerciais, mas de uma divulgação fluida a respeito dos diferenciais do seu produto ou serviço. O vídeo marketing segue o conceito de ser relevante e informativo. Assim, é possível desenvolver histórias que tenham tudo a ver com o perfil do público e gere identificação e, consequentemente, mais visualizações.

4. Webinars

Também conhecido como seminário online, o webinar é um dos mais versáteis tipos de vídeo porque o seu conteúdo pode ser bastante diversificado — e também o modelo.

Você pode ter somente um quadro branco servindo de lousa ao fundo ou mesmo outros elementos interativos, como uma tela de computador. Podem ter convidados, interações e, até mesmo, um quiz para testar os conhecimentos dos espectadores. Esse tipo é ideal para construir e consolidar a sua presença digital como autoridade e engajar com o seu público.

5. Depoimentos

Para mostrar ao consumidor e clientes em potencial que as suas soluções funcionam, e eles não precisam confiar apenas na sua palavra, os depoimentos são de grande importância. Por meio deles, a sua mensagem é transmitida por quem já testou e aprovou o seu produto ou serviço — e isso pode gerar um impacto positivo nos espectadores.

E se você acha que essa não é uma manobra capaz de render bons resultados, basta pensar por uns instantes como um consumidor: temos o costume de verificar avaliações e comentários de outros clientes quando pesquisamos a respeito de um serviço ou produto, certo?

A questão é que com esses tipos de vídeos você tem mais abrangência e possibilidades de usos. Exemplos disso são os depoimentos em vídeo que podem figurar em uma landing page, por exemplo, estimulando o cadastro de um cliente em potencial no seu banco de dados.

Para dar início à empreitada, no entanto, o trabalho deve ser feito em conjunto com os clientes. Divulgue sua ideia via e-mail marketing, em seu site e nas redes sociais. Convide as pessoas e tenha em mente perguntas pré-definidas que vão ajudar a reforçar a sua mensagem.

6. Transmissões ao vivo

Tem se tornado uma prática bastante comum e que pode ser feita em diferentes plataformas. O YouTube é uma delas, mas muitas redes sociais também abrem espaço para a realização de transmissões ao vivo, como o Facebook.

O recurso pode ser idealizado para diversos objetivos, como apresentar a sua empresa, um evento que vocês estejam participando, divulgar uma novidade e, até mesmo, abrir uma sessão de esclarecimento de dúvidas com os usuários. Vale a pena investir nessa ideia.

7. Endomarketing

Esses tipos de vídeo são idealizados como um instrumento de comunicação interna, como:

  • inspiração;
  • motivação;
  • treinamento;
  • divulgação de novidades da empresa.

São eficazes, criativos e contribuem com a melhoria das relações internas de uma empresa. E, como se sabe, uma equipe motivada é um dos principais elementos para fortalecer a sua presença de marca e fazer com que os consumidores percebam essa qualidade.

8. Institucionais

Vídeos institucionais são poderosos. Em primeiro lugar, porque podem aliar diferentes linguagens para impactar o consumidor e conseguem concentrar a sua mensagem em poucos segundos. Com uma boa divulgação, o seu institucional pode ser comentado e compartilhado em diversos canais, aumentando o alcance de sua marca.

Vale ter atenção, no entanto, à abordagem e ao tom de voz. Entenda o perfil do seu público e crie algo que gere identificação, desperte o interesse e faça-o clicar e assistir ao vídeo até o fim. É aquela boa e velha aliança para ser simples, objetivo e claro em sua mensagem.

9. Top 10

Entre os tipos de vídeos mais divertidos, o top 10 se destaca. É um dos formatos mais visualizados e utilizados por youtubers e outros influenciadores digitais — e pode trazer o mesmo retorno para a sua empresa.

Para tanto, convém uma boa pesquisa a respeito de temas relevantes para o seu público e que possam — direta ou indiretamente — ser associados ao tipo de solução que o seu negócio tem a oferecer.

10. Comerciais

Por fim, não dá para negar que os comerciais ainda possuem elevado valor para a conscientização de marca na mente do público. A diferença é que esses tipos de vídeos ganham um alto poder de personalização e segmentação quando produzidos e compartilhados online.

Sem falar que são mais acessíveis para um orçamento, diferentemente das propagandas veiculadas na TV, por exemplo. Algo que permite uma diversificação ainda maior de vídeos para você atrair e encantar o seu público.

Pois esse é o grande trunfo: relevância. Descubra quais são os tipos de vídeos que o seu público mais consome, e você terá uma frutífera produção com resultados positivos.

E, para que cada um deles seja um grande sucesso, não deixe de conferir também as nossas dicas com 4 erros na produção de vídeos que você não deve cometer!

Vídeos para publicidade infantil: veja 6 cuidados essenciais

Já destacamos em outros artigos por aqui a importância dos vídeos para o marketing da sua empresa. Não há dúvidas de sua eficácia para a divulgação de produtos ou serviços, seja qual for o seu ramo de atuação. No entanto, alguns segmentos têm regras um pouco mais rigorosas para a veiculação de anúncios comerciais, como é o caso da publicidade infantil.

Sabemos que as crianças são mais suscetíveis às ideias propagadas nas mídias. Sendo assim, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) achou por bem criar algumas regras para evitar possíveis problemas que a publicidade infantil possa causar. Há quem afirma que as normas são muito rígidas, enquanto outros querem acabar de vez com as propagandas voltadas às crianças.

De qualquer forma, é preciso conhecer as principais regras da publicidade infantil para que você não sofra qualquer tipo de punição. Continue lendo e confira a lista que preparamos!

1. Não utilize a palavra “compre” e seus derivados

Alguns imperativos, como “compre” ou “peça aos seus pais”, devem ficar de fora na publicidade infantil. Você provavelmente se lembra daquela propaganda dos anos 90 em que um menino repetia a frase “compre Baton” diversas vezes.

Essa forma de abordagem não é mais permitida nos dias atuais, pois essas palavras têm muita força e alto poder de persuasão — o que não seria um problema se fossem direcionadas ao público adulto.

2. Não estimule qualquer comportamento inadequado

Outro detalhe ao qual você deve ficar atento é em relação ao comportamento que você pode estimular.

Atitudes socialmente condenáveis ou perigosas devem ser evitadas nos seus vídeos publicitários para as crianças. Também não é permitido que você encoraje hábitos não saudáveis, como o consumo excessivo de comidas e bebidas.

3. Não sugira que o seu produto proporciona superioridade

Sabe aquela história de: “se você não quer ficar para trás, adquira nosso produto”?  Isso não deve acontecer jamais na publicidade infantil.

Qualquer sugestão de que a criança deve comprar tal coisa para ficar acima das outras ou não se sentir inferior é proibida. Essa situação pode constranger as crianças e abalar o psicológico delas.

4. Não utilize personagens de desenhos animados

Esse é um ponto bastante polêmico. Poucos sabem dessa regra, mas você não deve utilizar personagens de desenhos animados em sua campanha ou fazer merchandising em programas de TV voltados ao público infantil.

Uma das alegações é que a criança corre o risco de entender que, ao adquirir o produto, ela pode fazer parte daquele universo imaginário.

5. Não use o formato jornalístico

O formato jornalístico apresenta um caráter informativo, logo, supõe-se que tudo o que está sendo dito é verdade.

As crianças têm dificuldade em diferenciar uma notícia fictícia de uma verdadeira, pois ainda não formaram um senso crítico. Então, devido à alta persuasão que esse tipo de propaganda proporciona, o modelo foi abolido.

6. Não desmereça o papel dos pais e/ou educadores

Não desmerecer os pais ou educadores é uma das regras menos contestadas, até mesmo pelos mais críticos às proibições. Basta ter bom senso para saber que não se deve tirar a autoridade dos responsáveis pela educação das crianças. Além disso, você não pode criar propagandas que desvalorizem a família, a escola, a proteção ambiental e a vida saudável ou que promovam qualquer tipo de preconceito.

Sabemos que a mídia não é a responsável pela educação das crianças; os pais têm que instrui-las e impor limites. No entanto, é preciso ter muito cuidado com os conteúdos das mensagens para não influenciá-las negativamente. As marcas precisam divulgar seus produtos e as mídias precisam de anunciantes para sobreviver. Sendo assim, as regras para a publicidade infantil vêm para equilibrar a situação.

E você? Acha que as proibições são justas? Deixe a sua opinião aqui nos comentários!

6 tendências de vídeo marketing para não perder nos próximos anos

O vídeo marketing se tornou uma das principais estratégias das empresas para promover a marca e divulgar seus produtos ou serviços, especialmente no ambiente digital. Se antes era preciso um investimento considerável para atingir o público com vídeos publicitários, hoje, empresas de qualquer porte conseguem se beneficiar dessa estratégia. No entanto, poucos conhecem as principais tendências para potencializar seus resultados.

Além das novas tecnologias e plataformas que surgem a todo o momento, existem algumas práticas que são indispensáveis para conquistar o consumidor moderno. Não basta apenas produzir vídeos belíssimos, é preciso escutar o que o seu público deseja. Dessa forma, você passa a ver o vídeo marketing como um investimento que dá retorno, e não um gasto a mais para a sua empresa.

Quer conhecer as principais tendências de vídeo marketing para implementar no seu negócio? Continue lendo e confira!  

1. Stories

Primeiro veio o Snapchat com uma proposta bem interessante: permitir a publicação de vídeos curtos que somem após 24 horas. Após seu sucesso notável, o Instagram disponibilizou uma funcionalidade bastante parecida em sua plataforma — para não dizer idêntica. Então, esse recurso que já vinha em alta, popularizou-se ainda mais. Atualmente, devido à boa recepção, até mesmo o WhatsApp dispõe dessa função.

Diversas marcas já estão utilizando o Stories de diferentes maneiras. Seja para mostrar os bastidores da empresa, dar um comunicado rápido ou apresentar novos produtos, esses vídeos curtos são excelentes para se comunicar com os seguidores.

A rotina de quem vive nas grandes cidades é bastante corrida e somos bombardeados por inúmeras informações o tempo inteiro. Sendo assim, é natural filtrarmos os conteúdos que consumimos. Portanto, os vídeos curtos conseguem muitas visualizações, pois são ideais para quem deseja dar apenas uma checada rápida nas redes sociais

2. Lives

Assim como o Stories, as transmissões ao vivo são ideais para gerar engajamento nas redes sociais. Como já destacamos várias vezes, os consumidores atuais são mais interativos — não existe mais aquela história de a marca divulgar suas ofertas e não ouvir a audiência. Então, se você quer se tornar relevante nas mídias sociais, é preciso dialogar com os consumidores.

As Lives, presentes em plataformas como o Facebook, Instagram e YouTube, têm como propósito aproximar os clientes das marcas. O recurso é bastante utilizado pelas empresas para responder as dúvidas dos usuários. Esse tipo de ação gera bastante engajamento, pois as perguntas são feitas e respondidas na hora.   

Você também pode utilizar esse recurso para comunicados importantes. Para isso, você deve criar expectativa no público, anunciando que terá uma grande surpresa para quem assistir à Live. Assim, há grandes chances que seus seguidores entrem no horário marcado. Porém, é preciso ter bastante cuidado com essa estratégia para não desapontá-los. O anúncio deve ser realmente relevante ao público.

3. Vídeos 360º

Quer ficar na memória dos consumidores e fortalecer a sua marca? Proporcione a melhor experiência possível. Você pode até vender o mesmo produto de vários concorrentes, mas se o cliente passar por momentos agradáveis em seu estabelecimento e nos canais de comunicação, é possível que ele se torne fiel.

vídeo 360º proporciona uma experiência imersiva aos espectadores. Imagine, por exemplo, convidar seus potenciais clientes a fazer um tour pela sua empresa sem que eles precisem sair de casa. Assim, eles podem conhecer todos os setores do estabelecimento de modo mais detalhado, escolhendo para onde olhar — como acontece na vida real.

4. Realidade Virtual

Agora, se você quer ampliar ainda mais a imersão e intensificar a sensação de realidade no público, aposte nos dispositivos de VR (Virtual Reality). Além da visão 360º, o usuário se sentirá, de fato, dentro do ambiente mostrado no vídeo. O aparelho é bastante simples: um óculos todo vedado com uma tela. Conforme o usuário mexe a cabeça, ele consegue explorar o local em que está inserido.

Diversas marcas já utilizaram essa tecnologia para criar ações interessantes. A Nike, por exemplo, deu a oportunidade dos espectadores assumirem a perspectiva do Neymar em uma partida de futebol. Já a Volvo, utilizou os óculos VR para que o público fizesse um test drive em um dos seus caminhões.

Viu só como a realidade virtual não é só utilizada para games? Ela pode ser explorada por profissionais de diversas áreas para diferentes objetivos. Vamos supor que você tenha uma agência de turismo e queira promover um pacote de viagens para determinado destino. No caso, você pode utilizar o dispositivo para que os clientes conheçam um pouco do local e aumentar as suas chances de venda.

5. Vídeos otimizados para os motores de busca

Se os vídeos são tendências na web, então você deve fazer com que eles sejam encontrados pelo público. Você provavelmente já ouviu falar em SEO (Search Engine Optimization). Essa estratégia consiste em otimizar os seus conteúdos para ficarem bem posicionados nos mecanismos de busca, como o Google. Geralmente, a técnica é utilizada em sites, mas você pode aplicá-la também em seus vídeos.

Além do Google, o próprio YouTube funciona como um motor de busca e leva diversos fatores em consideração para que os seus vídeos sejam encontrados pelo público-alvo. Entre os aspectos mais importantes para o ranqueamento, podemos citar:

  • uso de palavras-chave no título e na descrição;

  • uso de tags;

  • URL amigável (nesse caso, funciona apenas no seu próprio site);

  • idade do canal ou da página;

  • retenção do público.

6. Influenciadores digitais de nichos

Foi-se a época em que apenas as grandes celebridades eram procuradas para estrelar comerciais. Antes do surgimento da internet, as empresas menores não tinham condições de produzir uma propaganda em vídeo e chamar alguém influente para ser o protagonista. Atualmente, é possível encontrar blogueiros e youtubers que possuem uma audiência considerável em qualquer nicho.

Muitas vezes, o influenciador em questão nem mesmo trabalha criando conteúdos em seu próprio canal. Ele apenas possui diversos admiradores nas redes sociais. No Instagram, por exemplo, você consegue encontrar pessoas do mundo fitness que atraem um público grande com suas dicas ou fotos de treinamento e alimentação.

No entanto, não é só com a quantidade de seguidores que você deve se importar, e sim com o perfil do público. Pode ser que fulano não tenha 1 milhão de seguidores, mas aqueles que o seguem são valiosos para o seu negócio. Logo, ao fechar uma parceria com o influencer certo, você pode impactar um público qualificado.

Como você pôde notar, não basta utilizar tecnologias de ponta para se manter relevante no cenário atual. Também é preciso conhecer as melhores práticas de vídeo marketing. Ao ter em mente o perfil do público-alvo e seu objetivo, você consegue produzir vídeos que apresentem bons resultados para a sua empresa.

Quer receber os melhores conteúdos sobre vídeo marketing em seu e-mail? Assine nossa newsletter e saia na frente da concorrência!