fbpx
0

Blog

Por que usar os vídeos animados na estratégia de marketing?

Muitos já sabem que o vídeo marketing é uma das melhores estratégias para conquistar a atenção do público-alvo. No entanto, diversas empresas deixam de usufruir dos conteúdos audiovisuais por acreditarem que é preciso uma grande produção cinematográfica para obter um resultado satisfatório. Como veremos ao longo deste artigo, utilizar vídeos animados pode ser a solução mais viável para o seu negócio.

Ainda hoje, existem aqueles que ligam as animações à publicidade infantil, mas basta observar um pouco melhor para descobrir que esse modelo é adotado por diversas marcas nos mais variados segmentos. Então, não é o formato que define qual público será impactado, mas a sua execução de acordo com o objetivo.

Quer conhecer as vantagens dos vídeos animados e como utilizá-los da maneira mais eficiente? Continue a leitura!  

Quais as vantagens dos vídeos animados?

Tanto as produções que envolvem imagens reais quanto as animações envolvem benefícios semelhantes. Contudo, os vídeos animados contêm algumas peculiaridades que podem servir melhor ao seu objetivo de marketing. Veja abaixo as principais vantagens desse formato:

Não há limites para a imaginação

O surgimento da computação gráfica ampliou as possibilidades para quem produz filmes. As técnicas de edição evoluíram de tal modo que, muitas vezes, ficamos em dúvida se o que estamos vendo na tela é real ou não. Agora, quando o assunto é animação, tudo se torna ainda mais fácil. Quer mostrar o seu personagem voando pela cidade? Não é preciso alugar um helicóptero e nem contar com grandes truques de edição!

Além de reduzir o custo e o tempo de produção, você pode ilustrar a história que quiser da maneira que achar melhor. Isso ajuda os espectadores a compreenderem melhor a sua mensagem.

São mais didáticos

Já que estamos falando sobre as inúmeras possibilidades que os vídeos animados envolvem, imagine a seguinte situação: você vai participar de uma feira de negócios e precisa mostrar aos seus possíveis clientes o funcionamento de determinada máquina.

Em vez de explicar em um longo texto como o equipamento trabalha e por que ele é superior aos outros, você pode criar uma animação exibindo todos os detalhes por dentro dessa máquina.

São visualmente atraentes

Assim como uma pintura em um muro no centro da cidade pode chamar a atenção de quem está passando, os vídeos animados também se destacam em meio aos textos e fotos comuns. Nas animações, você consegue brincar com as cores e traços para torná-las diferentes daquilo que todo mundo está acostumado.

Se a sua marca tem uma identidade visual bem estabelecida, assim que os espectadores se depararem com o seu material, já saberão logo de cara quem está veiculando a mensagem. Essa é uma excelente forma de construir o seu branding.

Transmitem leveza

Já percebeu que até um assunto sério se torna leve quando é abordado por meio de uma animação? Vamos supor que você esteja contratando novos funcionários e o treinamento vai durar o dia inteiro.

Sabemos o quanto é desgastante essa situação, então, essa pode ser uma saída para tornar o clima mais leve e, consequentemente, fazer com que os colaboradores absorvam melhor as informações.

Alcançam mais pessoas

Nos primórdios da internet, quando ainda era discada, assistir a um vídeo na web era uma tarefa árdua. Contudo, hoje, temos planos de conexão banda larga acessíveis e boas plataformas de streaming. Sendo assim, os usuários começaram a dar preferência aos vídeos.

Inclusive, mecanismos de busca como o Google sempre foram os principais meios de pesquisa. Na verdade, o Google ainda é o site mais acessado do mundo, porém, é comum observarmos muitas pessoas utilizando a sua plataforma de streaming (YouTube) para fazerem pesquisas. Logo, se você quer que a sua mensagem tenha muitas visualizações, o vídeo animado cumprirá bem essa função.

Como utilizá-los da maneira mais eficiente?

Certamente, não basta criar uma animação bem produzida para que os resultados apareçam. É preciso saber onde você quer chegar, quem deseja atingir e os melhores meios para conquistar o seu objetivo. Confira a seguir os aspectos indispensáveis para a sua estratégia!

Estabeleça o seu objetivo de marketing

A primeira pergunta que você deve se fazer é: o que pretendo conseguir com a divulgação do meu vídeo? A partir de então, fica mais fácil determinar o tipo de material que será produzido.

Você precisa tornar a sua marca conhecida? Um vídeo curto e impactante pode ser a melhor opção. Quer fazer novas parcerias? Nesse caso, talvez seja melhor produzir um vídeo informativo. Precisa aumentar a conversão? Então, mostrar um case de sucesso é uma excelente ideia.

Selecione as mídias mais apropriadas

Agora que você já estabeleceu o seu objetivo, é hora de escolher a mídia em que o material será divulgado. É comum vermos empresas utilizando apenas um canal, como o Facebook, para a comunicação da empresa, mas esse é um grande erro. Cada mídia tem suas particularidades e proporcionam diferentes benefícios.

Pegando o exemplo do tópico anterior, vamos supor que você definiu que precisa aumentar a taxa de conversão e decide produzir um vídeo mostrando um case de sucesso. Em vez de exibir a mensagem para todos, sem distinção, pode ser melhor enviar para os seus contatos qualificados por e-mail. Desse modo, você impacta aqueles que já demonstraram interesse em seus produtos ou serviços.

Defina o seu público-alvo

Ao definir um público-alvo, você consegue tocar na ferida de quem é interessante para o seu negócio, empregar a linguagem correta e selecionar as melhores mídias. Afinal, é impossível  e até mesmo indesejável  atingir todas as pessoas na publicidade.

A dica aqui é criar uma Persona. Trata-se de um personagem semifictício que representa o seu comprador ideal. Ao contrário do público-alvo, a persona requer detalhes em sua descrição. Quanto mais informações tiver, suas mensagens serão mais bem direcionadas, pois você conseguirá se colocar no lugar do consumidor ao produzi-las.

Percebeu as vantagens que os vídeos animados trazem para as marcas e o quanto é importante se planejar antes de tomar qualquer decisão? Lembre-se também de procurar profissionais qualificados para não ter um resultado amador, e assim, afetar a sua imagem. Seguindo essas dicas, você estará na frente de grande parte dos concorrentes.

Agora que você já conhece o poder dos vídeos animados, leia este nosso outro artigo e descubra como é feito um roteiro de um filme publicitário!

Descubra agora como funciona a monetização no Youtube

Entre as principais plataformas de streaming, o YouTube é, sem dúvida, a mais popular. Hoje, existem diversos canais que conseguem reunir uma audiência de milhões de pessoas. Com isso, muitos produtores de conteúdo começaram a sonhar em tirar sua renda por meio da monetização no YouTube.

O que nem todos sabem é que é necessário seguir algumas normas antes de conseguir seus primeiros centavos. Porém, mesmo que você não consiga atender a esses critérios, existem outras maneiras de gerar receita com seus vídeos.

Quer conhecer as regras para a monetização no YouTube e suas alternativas para faturar um dinheiro? Continue lendo!

Quais são as regras para a monetização no Youtube?

Primeiramente, você deve se cadastrar na plataforma do YouTube para criar o seu canal e começar a publicar os seus conteúdos. No entanto, para que os vídeos sejam monetizados é necessário fazer parte do YouTube Partner Program e criar uma conta no Google Adsense.

Feito isso, basta esperar que o seu cadastro seja aprovado pelo programa de parcerias. Antes de 2018, os requisitos para a qualificação eram simples. Contudo, algumas coisas mudaram de lá para cá.

Como era antes?

Basicamente, para ser aceito era preciso:

  • produzir conteúdo original em frequência regular;

  • estar localizado em um dos países que fazem parte da lista;

  • obedecer às regras da comunidade.

Caso seu cadastro fosse aprovado, os anúncios passariam a ser veiculados em seus vídeos por meio do Google Adsense. O lucro vinha de acordo com os cliques recebidos nos anúncios ou pelo tempo em que os usuários assistem ao conteúdo publicitário.

Por que mudou?

A mudança se deu porque o cadastro era relativamente simples e isso dificultava a validação dos canais pelo YouTube. Outro fator determinante é que os anunciantes não tinham controle sobre quais vídeos os seus anúncios seriam veiculados, a escolha era pura e simplesmente do algoritmo.

Sendo assim, muitas marcas de peso pararam de investir na plataforma. Afinal, a probabilidade de que seus anúncios aparecessem em vídeos com conteúdos impróprios era grande.    

O que mudou?  

Para resgatar a confiança dos anunciantes, o YouTube adicionou algumas regras mais rígidas. A primeira medida foi que o canal participante deveria ter mais de 10 mil visualizações.

Porém, a regra não se revelou suficiente e foram adicionados outros critérios: ter, no mínimo, 1 mil inscritos no canal e 4 mil horas de conteúdo assistidos nos últimos 12 meses. O YouTube também passou a revisar manualmente os vídeos que recebem denúncias por violação às normas da comunidade.

Quais são as principais formas de monetizar os vídeos?

Google Adsense

Além do YouTube, os anúncios do Google Adsense são exibidos em diversos sites e aplicativos participantes da rede de display. Por muito tempo, essa opção rendeu bastante dinheiro aos produtores de conteúdo. Entretanto, nos dias atuais, a não ser que a sua audiência seja enorme, a receita não costuma ser tão generosa.

Conteúdos patrocinados

Outra maneira de gerar receita com seus conteúdos é ser patrocinado diretamente pela marca. Geralmente, as marcas procuram os canais que possuem um nicho semelhante ao seu segmento e fazem uma proposta para os criadores. Desse modo, não há um intermediário para a monetização acontecer.

Links afiliados

Nesta opção, você recebe uma comissão pela venda de infoprodutos, como cursos on-line e e-books. Existem diversas plataformas em que você pode se tornar um afiliado e encontrar produtos para divulgar, a mais popular é a Hotmart. A remuneração acontece quando um usuário clica em seu link exclusivo e efetua a compra.

Como deu para perceber, existem diferentes formas de monetização no YouTube, basta explorar as opções e descobrir qual é a mais vantajosa para você. O mais importante é focar em criar conteúdos de qualidade antes de pensar nos resultados.

Agora que você já sabe das regras para a monetização, leia este outro artigo e confira nossas dicas para melhorar os resultados com vídeos no YouTube!

Métricas de vídeos: confira 6 indicadores para acompanhar

Muitas das estratégias de marketing estão convergindo para um elemento em comum: os vídeos para atrair usuários, engajar com o público-alvo e aumentar a presença digital. Acontece que, como em qualquer outra ação digital, é importante mensurar os resultados de cada campanha, o que evidencia a importância das métricas de vídeos no processo.

Mas, afinal de contas, quais métricas de vídeos devem ser acompanhadas? A questão pode parecer simples de ser respondida, mas envolve uma série de fatores. Por exemplo: o número de visualizações é importante, mas se o seu objetivo é o engajamento dos usuários, a quantidade pode ser um valor pouco relevante, no fim das contas.

Por isso, neste post vamos destacar 6 indicadores que você pode acompanhar e alinhá-los de acordo com as suas necessidades e objetivos. Confira!

1. Taxa de retenção

Uma das principais métricas de vídeos, a taxa de retenção (também conhecida como watch time) está diretamente relacionada ao tempo que os usuários permaneceram com o vídeo aberto em suas telas.

Ainda em comparação ao exemplo que demos no início do artigo: se a sua intenção vai além do simples dado quantitativo de quantas vezes clicaram em seu vídeo, a taxa de retenção é importante para avaliar, justamente, o tempo médio que as pessoas se mantiveram como espectadores do conteúdo audiovisual criado.

Vale destacar, ainda, que esse indicador é também uma excelente maneira de avaliar o engajamento do público. Para estratégias de vídeos, saber que a sua audiência permaneceu prestando atenção até o fim — ou por boa parte, pelo menos — já é um passo relevante para tornar a sua marca uma grande referência de engajamento no mercado.

2. Número de assinantes

Como falamos anteriormente da representatividade de números, aí está uma das métricas de vídeos cujo número absoluto é bastante desejado pelas empresas: o número de assinantes.

Por exemplo: seus vídeos no YouTube estão alocados, provavelmente, no canal de sua empresa. E é importante para a sua marca que esse canal tenha o maior número possível de inscritos — o que difere bastante do número de visualizações em um vídeo, apenas.

Até por isso, as estratégias de conteúdo visam fazer com que os usuários assinem o canal enquanto assistem a um vídeo. Afinal de contas por mais que um de seus vídeos viralize, se poucas pessoas assinarem o canal esse valor terá pouco significado nos próximos meses.

Dessa maneira, a base de usuários cresce gradativamente, à medida que novos conteúdos são postados, você está aumentando efetivamente a sua audiência. Pois eles vão receber em primeira mão os seus vídeos e vão ajudar em sua divulgação, seja comentando ou mesmo compartilhando em suas redes sociais.

Sem falar que funciona também como uma ferramenta de relacionamento com o seu público-alvo. Da mesma maneira que os seus clientes recebem e-mails com novidades, os assinantes do seu canal também recebem notificações a respeito de suas produções de conteúdo em vídeo. Quanto mais assinantes, portanto, maiores são as chances de que eles assistam aos novos conteúdos postados on-line.

Portanto, tenha em mente que métricas de vídeos como essas podem ser estrategicamente usadas para construir mais autoridade à sua marca, por exemplo. Um canal com milhares de assinantes é um diferencial e tanto para a sua empresa alcançar mais sucesso!

3. Métricas de engajamento

O primeiro item de nossa lista com métricas de vídeos a serem monitoradas era um índice de engajamento. Só que a taxa de retenção não é a única, embora seja profundamente significativa. Outras também podem fazer parte do seu monitoramento, como:

  • número de curtidas;

  • comentários nos vídeos;

  • compartilhamentos.

Embora esse tipo de dado seja considerado uma métrica de vaidade em boa parte das redes sociais, ele pode ser relevante para a sua estratégia de conteúdo baseada em vídeos. E sabe de qual maneira? A partir da análise de sua taxa de retenção, complementada por esses recursos, que ajudam a mensurar o potencial de viralização de um conteúdo audiovisual postado.

4. Tempo de carregamento

Vivemos na época do imediatismo: se um vídeo não carrega em até dois segundos, você pode perder aquele usuário, sabia? Por isso, essa métrica tem um estimável valor para o monitoramento de sua equipe.

A ideia é fazer com que o tempo de carregamento seja o menor possível. Algo que, a princípio, tem a ver com o tipo de tecnologia usada para a hospedagem dos seus conteúdos. Por isso, um bom investimento é crucial para que aquele vídeo sensacional que vocês gastaram horas produzindo seja acessado e todo o conteúdo visualizado.

5. Taxa de abandono

Já destacamos que a taxa de retenção explora o número de pessoas que permaneceu ao longo da exibição de todo o vídeo — ou de partes dele. Só que, com a taxa de abandono, a ideia consiste em avaliar o número de pessoas que parou de assisti-lo pela metade.

Neste caso, essa é uma excelente métrica de vídeo porque permite que você investigue os motivos pelos quais os usuários não assistem até o fim as produções audiovisuais da sua empresa.

Todo dado é mensurável, nas ações de marketing digital, e essa está entre as principais métricas de vídeo porque pode se tornar uma verdadeira lição sobre como fazer conteúdos cada vez melhores — um lembrete: é sempre bom também se atentar às principais tendências do setor para gerar um atrativo contínuo à sua audiência!

6. Média de visualizações por dia

Se você não sabe quando postar, essa é uma das principais métricas de vídeos. Afinal de contas, ela ajuda a visualizar quando os conteúdos de suas páginas foram acessados. Assim, se alguma média se destacar e apresentar um padrão, é sinal evidente de que você tem um comportamento a ser analisado e devidamente alinhado ao seu calendário editorial.

Tenha esse indicador sempre por perto, portanto, e combine-o com outro: o crescimento de tempo de visualização. Nele, fica claro também o período que o público mais acessa os seus vídeos.

E então, deu para entender quais são as principais métricas de vídeos para colocá-las sob a sua análise e monitoramento? Agora, para saber outras dicas e novidades sobre o setor, siga-nos no Facebook e confira em primeira mão os nossos conteúdos!

O que é marketing viral e como aumentar o potencial de um vídeo?

Você se lembra do vídeo Dove Real Beleza, no qual a marca de sabonetes promove uma reflexão sobre a formas como as pessoas se veem e como elas são percebidas pelos outros? Provavelmente, você deve ter ao menos ouvido falar sobre o assunto, visto que o filme foi um “boom” na época em que foi lançado, sendo disponibilizado em 25 diferentes línguas e ganhando vários prêmios. 

O grande sucesso dele se deve ao marketing viral. A estratégia tem a capacidade de aumentar o potencial de um vídeo e torná-lo um verdadeiro sucesso para a marca. Quer saber mais sobre o assunto e como aplicá-lo ao seu negócio? Continue a leitura!

O que é o marketing viral? 

O marketing viral pode ser definido como uma estratégia de marketing que tem o intuito de explorar a conexão entre os indivíduos se espalhando de maneira viral. 

Ou seja, ele encoraja o público a levar adiante a mensagem do conteúdo (vídeo, texto, imagem etc.), produzindo assim, uma maior divulgação da marca, produto ou serviço. Entre os fatores que tornam, por exemplo, um vídeo viral estão: 

  • o humor; 
  • o contexto (o timing com o momento); 
  • as boas histórias; 
  • a surpresa; 
  • a qualidade musical; 
  • o despertar de emoções, como a nostalgia. 

Como tornar um vídeo viral? 

Como mostramos no tópico anterior, algumas características são essenciais para tornar um vídeo viral. Para conseguir que o seu material agregue esses aspectos é preciso seguir algumas dicas, como os exemplos que mostraremos a seguir!

Preze por conteúdos curtos 

Não é possível prever exatamente se um vídeo se tornará viral, mas você pode planejar a mensagem e todos os aspectos para impulsioná-lo, como o tamanho do conteúdo. Geralmente, conteúdos curtos, com mensagens concisas e de impacto têm mais chances de serem compartilhados, principalmente em redes sociais, e chamarem atenção de outras pessoas. 

Estabeleça uma abordagem humanizada

Voltando ao exemplo do início do texto, o vídeo da Dove se tornou viral, pois tocou em um assunto sensível ainda para as pessoas: a aparência. No entanto, ele trabalhou isso de maneira humanizada, mostrando, de fato, a real beleza.

A partir do momento em que algo toca emocionalmente as pessoas, as chances são maiores de que elas repassem o conteúdo. Por isso, preze por humanizar o seu material, mas com cuidado, para não passar uma mensagem contrária ou apelativa que possa prejudicar a imagem da empresa. 

Promova a interação com o público 

Procure trazer junto ao seu vídeo alguma forma de interação com o público, pode ser um quiz para ser respondido ao final, o link para o acesso à página dos seus produtos ou serviços ou mesmo comentários nas redes sociais. 

Por exemplo, se o seu conteúdo estiver no seu site, coloque botões para o rápido compartilhamento. Isso estimula a interação com o público e faz com que ele se sinta impelido a tomar uma ação. 

Promova o conteúdo 

O conteúdo se torna viral a partir do momento em que a empresa promove o vídeo. Ou seja, faz campanhas, replica o conteúdo com certa constância nas redes sociais, investe em posts e links patrocinados, entre outros. 

Não se esqueça de construir uma mensagem de chamada atraente para estimular as visualizações. Isso será imprescindível na hora de chamar a atenção para o vídeo e engajar o público. O design também é algo importante, cuidado a esses detalhes para poder promover o conteúdo da maneira mais adequada. 

Fazer marketing viral não é uma ciência exata. No entanto, seguindo as dicas apresentadas no nosso texto, com certeza, você terá grandes chances de aumentar o potencial do seu vídeo. 

Gostou do nosso conteúdo? Continue acompanhando mais posts como esse, curta a nossa página no Facebook!

Produção de vídeos com drones: possibilidades e cases de sucesso

A produção de vídeos com drones é ainda recente, no Brasil, mas com ventos favoráveis soprando em direção à sua popularização. Afinal de contas, a possibilidade de construir diversos tipos de vídeos com imagens aéreas se tornou muito mais fácil com essa tecnologia.

Acessível, versátil e com recursos interessantes, como a gravação de vídeos em 360°, a produção de vídeo com drones tem tudo para fazer a sua produção audiovisual decolar. E, neste post, nós vamos avaliar quais são as vantagens de usá-los, bem como alguns recentes cases de sucesso. Acompanhe!

O que é e como funciona a produção de vídeos com drones?

Os vídeos estão entre os meios de comunicação mais consumidos pelo público. Com isso, surgem novas perspectivas para impactar a sua audiência e diferenciar-se das ações de sua concorrência. E é nesse cenário de inovações que a produção de vídeos com drones tem sobrevoado o mercado publicitário.

Até então, imagens aéreas eram muito trabalhosas e custosas, sendo necessário o aluguel de um helicóptero para isso, por exemplo. Os drones, por sua vez, podem captar e registrar imagens em alta resolução, com um manuseio simplificado e resultados que impressionam.

Para a criação de campanhas de marketing com vídeos, essa alternativa tem apontado para diversas possibilidades criativas, como:

  • captura de imagens aéreas para trazer mais dinamismo e atrativo aos seus vídeos institucionais;
  • gravação de vídeos em 360°, que é uma tendência crescente no ramo;
  • live streamings de eventos produzidos pela sua empresa, ou da qual vocês façam parte;
  • teasers com novos ângulos e perspectivas, aguçando o interesse do público;
  • o uso de novas linguagens, aproximando a sua produção de vídeo com drones da versátil linguagem cinematográfica.

Soma-se a isso a facilidade de colocar em prática a sua estratégia. Os drones são fáceis de serem transportados e controlados. Com isso, o maior desafio está em dar asas às ideias de sua equipe para que elas voem juntas a essa providencial tecnologia.

Quais são as histórias comerciais imortalizadas com a produção de vídeos com drones?

Além dos pontos que destacamos no desfecho do último tópico, a produção de vídeo com drones se destaca por outros motivos. Entre eles, o custo de uma campanha dessas, que ajuda na democratização das imagens aéreas, pois demanda apenas o gasto com o drone e um especialista no seu manuseio.

Essa facilidade toda se converte, então, em ideias cheias de estilo e que se amontoam em cases de sucesso comerciais ao redor do mundo inteiro. Além de eventos esportivos — que ganharam um dinamismo diferenciado na captura de imagens —, a produção de vídeos com drones fez sucesso recente de outras formas, como:

Conselho de Floristas da Holanda

Com uma campanha que foi apelidada de “Cupidrone”, a empresa usou drones para procurar, dos céus, casais ou casais em potencial. Assim que enquadrados em sua câmera, o próprio drone liberava uma delicada chuva de rosas sobre eles. Isso aconteceu na cidade de Verona, no Dia dos Namorados de 2015, na Itália.

General Eletric (GE)

Também em 2015, a GE lançou o DroneWeek, que combinava a ação aérea dos drones com o uso do Periscope e do Twitter. Assim, as transmissões ocorriam em tempo real e destacavam, no tour aéreo, todo tipo de inovação e tecnologias em que a empresa tem investido.

Dove

Com o título de “Mamãe, cheguei!”, a Dove apostou na produção de vídeos com drones vestindo-os com uma fantasia de cegonha. Eles se aproximavam de mães — e futuras mamães — para entregas especiais de produtos da marca.

Quer saber mais a respeito da produção de vídeos com drones e suas possibilidades criativas? Então, que tal começarmos pelos já citados vídeos em 360°? Confira conosco o que são e por que sua empresa deveria fazê-los! Não perca!

Como o live streaming mudou o engajamento nas redes sociais?

Até parece novidade, mas foi em 2011 que os vídeos no Youtube ganharam um recurso diferenciado: o live streaming. Esse foi o primeiro contato do público com uma transmissão em tempo real nas redes sociais.

Desde então, o sucesso foi tanto que muitas outras plataformas seguiram o exemplo — como o Instagram, o Facebook, o Twitter, entre outros. E isso mexeu profundamente na maneira das pessoas se relacionarem com as marcas que investiram nessa ferramenta.

Para entender como essa dinâmica pode impulsionar a presença digital e o alcance de sua empresa, confira conosco os diferenciais do live streaming!

O que é live streaming?

Vale a pena contextualizar o conceito, já que existe a possibilidade de confundi-lo com o serviço de streaming — como Netflix e Spotify. Embora similares, estamos falando de ferramentas diferentes.

Isso porque o streaming faz uso de uma programação que carrega os vídeos à medida que você os assiste. Já o live streaming abre mão desse tempo de carregamento. A transmissão de dados acontece em tempo real, como se você estivesse assistindo a um evento ao vivo.

Por que fazer um live streaming?

Esse recurso tem sido amplamente utilizado para aproximar as empresas do seu público-alvo. Afinal de contas, o live streaming possibilita que os usuários interajam com a transmissão e com quem estiver do outro lado.

Para isso, quem realiza esse tipo de transmissão abre o canal para ler e responder mensagens deixadas pelo público. Tudo isso ao vivo, em uma interação dinâmica e diferenciada. Como consequência, esse engajamento fortalece o relacionamento com o consumidor e clientes em potencial.

Vale destacar também que o live streaming é um processo bastante simplificado: uma boa conexão e a plataforma de sua preferência bastam para colocar em prática a sua estratégia. É claro que isso, apenas, não basta para que se tenha um vídeo que atraia clientes até o seu negócio.

O planejamento é essencial para que você alinhe a produção audiovisual à demanda gerada pelo seu público-alvo. Ainda mais porque as possibilidades se estendem e podem colocar você em contato com a sua audiência de diferentes maneiras, como:

  • transmissão de eventos;
  • demonstração de algum produto ou serviço novo em sua empresa;
  • interações com o público-alvo;
  • gravação e transmissão de eventos internos, aproximando o público do dia a dia de sua empresa;
  • sorteios.

Isso tudo mostra o quanto é possível diversificar — e ampliar — o impacto que a sua marca pode causar nos seus clientes em potencial e consumidores.

Como o live streaming mudou o engajamento dos usuários?

Falamos brevemente a respeito disso, acima, mas vale o reforço: as pessoas estão consumindo mais e mais vídeos. Ou seja: isso por si só já é um diferencial para você estimular o engajamento dos usuários.

Com a live streaming, no entanto, você cria o ambiente ideal para tais interações. Elas podem acontecer via textos, leitura de comentários ou mesmo ao vivo, abrindo o espaço para a sua audiência participar das transmissões.

De acordo com um estudo do Yahoo — Tune in for the live video opportunity —, o live streaming facilita a geração de emoções e conexões imediatas com o público. Não por menos, já que a ação está se desenrolando naquele momento, permitindo que os espectadores contribuam de diversas maneiras com o sucesso daquele vídeo.

Qual é o futuro do live streaming?

Isso tudo apenas reforça a importância em investir nos vídeos para o marketing digital. Só que, além disso, mostra todo o poder do live streaming e os rumos que ele está ditando para o mercado.

Por exemplo: mais empresas e plataformas estão investindo nesse formato de produção. Veremos brevemente, portanto, um elevado número de produções live streaming e é importante colocar-se à frente da concorrência para cativar o seu público-alvo.

E para que você consiga fazer isso com sucesso desde o seu primeiro live streaming, convidamos você a assinar a nossa newsletter. Basta inserir o seu endereço de e-mail no canto superior direito de nosso blog, e você vai ficar por dentro de todas as nossas dicas e novidades. Até lá!