fbpx
0

Blog

Confira 8 vantagens da elaboração de vídeos tutoriais para a empresa

Vídeos tutoriais fazem muito sucesso na Internet. Hoje, conseguimos aprender sobre diversos assuntos acessando plataformas de vídeo, como o YouTube. Basta digitar a palavra-chave e escolher uma das opções.

Até pouco tempo atrás, quando não tínhamos Internet banda larga e a tecnologia digital ainda estava engatinhando, precisávamos buscar conteúdos informativos em livros ou artigos nos poucos sites disponíveis na web. Bastou surgir meios que permitissem a reprodução de materiais audiovisuais para mudarmos nosso comportamento. Afinal, os vídeos conseguem ser mais didáticos e atraentes que textos longos.

Quer descobrir os principais motivos para utilizar vídeos tutoriais em sua estratégia de marketing? Continue lendo e confira nossa lista!

1. Aumenta o alcance orgânico

Os tutoriais costumam atrair mais pessoas de forma orgânica. Dificilmente alguém pesquisa e acessa um conteúdo puramente publicitário. No entanto, os vídeos explicativos costumam ter muita procura pelos usuários.

Seja no Google ou YouTube, os consumidores estão sempre atrás de informações. Então, para alcançá-los de modo efetivo, você deve pesquisar as melhores palavras-chave relacionadas ao seu segmento e trabalhar em cima delas. Se você tem uma loja de acessórios para smartphones e nota que a busca por “como trocar a película do celular” é grande, é indicado que você produza um tutorial com esse tema.

Conforme as pessoas vão assistindo, comentando e compartilhando, suas chances de ser encontrado aumentam. Isso acontece porque os mecanismos de buscas levam em consideração, entre outros fatores, o engajamento do público e número de acessos para fazer o ranqueamento dos conteúdos.

2. Desperta o interesse nos consumidores

Quando adquirimos um produto, o ideal é lermos o manual de instruções antes de utilizá-lo. Dessa forma, há menos riscos dele apresentar defeito devido ao manuseio inadequado. Contudo, poucas pessoas têm esse hábito.

Os manuais de instruções costumam ser longos e cansativos. Sem contar que nem sempre é fácil entendermos todos os detalhes dos procedimentos para executar uma simples ação, mesmo com as gravuras. Já os vídeos tutoriais, conseguem desempenhar esse papel com maestria.

Se você oferece duas opções ao consumidor, ler um texto ou assistir a um vídeo, é provável que ele fique com a segunda opção. Nas redes sociais, por exemplo, nota-se que os conteúdos audiovisuais recebem mais visualizações e interações que outros formatos. Logo, esse é o caminho mais indicado para chamar a atenção do público.

3. Melhora o engajamento

Os espectadores sentem-se gratos quando recebem um conteúdo educativo. Sendo assim, eles curtem o seu vídeo, compartilham, deixam um depoimento etc. Mesmo sabendo que é a marca que está promovendo o material, os consumidores não se importam desde que o conteúdo seja de qualidade.

Dificilmente encontramos outro modelo que proporciona tanta interação quanto esse. O campo de comentários desse tipo de vídeo, normalmente, transforma-se em uma espécie de fórum, onde muitas pessoas também dão suas dicas e tiram dúvidas.  

O engajamento, além de auxiliar que o seu vídeo fique bem posicionado nos mecanismos de busca, causa uma boa impressão e atinge até mesmo aqueles que não seguem a empresa em qualquer mídia.  

4. Facilita o entendimento

Hoje, sobretudo devido à popularização dos cursos online, o vídeo com caráter educativo está em alta. O principal motivo é que esse tipo de material conta com diversos recursos audiovisuais que auxiliam o entendimento por parte dos espectadores.

Se você narra para um cliente como determinada máquina funciona, é provável que ele não consiga visualizar exatamente o processo e fique com diversas dúvidas. No entanto, ao adicionar uma animação enquanto é feita a narração, não é necessário muito esforço para entender todos os detalhes.  

5. Proporciona autoridade

Vamos supor que você tenha uma escola de idiomas e lança uma série de vídeos com dicas de inglês. Ao longo do tempo, cada vez mais pessoas começam a acompanhar essa série e, consequentemente, você se torna autoridade no assunto.

Ao construir essa imagem de especialista, aqueles que acompanham seus materiais com certa frequência, quando decidirem dar um passo a mais e ingressar em um curso, vão considerar a sua escola como a primeira opção.

Existem muitos profissionais que se tornaram conhecidos no mercado após criar conteúdos educativos que se tornaram virais na Internet. Não é raro encontrar alguém que começou um negócio de sucesso, somente depois de ganhar notoriedade nas mídias sociais. Quando uma pessoa ou empresa vira referência no segmento, consegue publicidade espontânea.   

6. Auxilia no processo de decisão

Os vídeos podem ser implementados em todas as etapas do funil de vendas. É possível utilizá-los tanto para atrair o público-alvo quanto para convertê-lo em lead ou cliente.  

Com tantas informações disponíveis na web, ninguém mais faz compras às cegas. Os consumidores querem saber como funciona o produto ou serviço antes de bater o martelo. Ao incluir vídeos tutoriais em sua página de vendas, por exemplo, o consumidor se sente mais seguro em adquirir a mercadoria.

Você pode também divulgá-los em outros canais para acelerar o processo de compra, como o e-mail. Para isso, você deve fazer a segmentação da sua lista de contatos, selecionando os usuários que estão em um estágio mais avançado no funil.

7. Aumenta a taxa de ativação

Muita gente adquire um produto ou serviço sem conhecer todo o seu potencial. Essa prática é bastante comum, especialmente, em relação ao uso de softwares e aplicativos. Dessa forma, o usuário tem a falsa sensação que a compra não foi vantajosa e deixa de usar o objeto.

Sendo assim, quando o consumidor é educado sobre a utilização do produto após assistir a um material didático, ele passa a tirar proveito da maneira correta. Então, o objeto deixa de ser útil em alguns casos e torna-se indispensável ao cliente.  

8. Diminui o número de reclamações

Outra prática corriqueira no mundo dos negócios é receber ligações de clientes reclamando que produto apresentou um defeito, quando, na verdade, isso só ocorreu porque ele foi mal utilizado. Como resultado, o usuário que não tem direito à troca, divulga sua frustração em sites de reclamação e nas redes sociais, o que prejudica a imagem da empresa.

Além de preservar a sua marca, com o auxílio dos vídeos tutoriais, você consegue desafogar os setores de atendimento ao cliente e assistência técnica. O prejuízo com devoluções também diminui consideravelmente.  

Como você pôde perceber, os vídeos tutoriais possuem diversas funções e oferecem diferentes benefícios. Entretanto, eles devem ser elaborados de maneira estratégica para que os resultados apareçam. Não existe uma fórmula coringa que funciona para todas as situações. Logo, o ideal é contar com a ajuda de uma produtora com experiência no ramo para que o seu esforço não seja em vão.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco e converse com um dos nossos especialistas. Teremos o maior prazer em ajudá-lo!

Veja como anunciar no YouTube Ads e aumentar suas vendas

Não dá mais para imaginar o mundo sem as plataformas de vídeos que temos hoje. Antigamente, se você precisasse fazer uma campanha televisiva para atingir pessoas do país inteiro, teria que desembolsar uma quantia considerável de dinheiro. Felizmente, com a chegada da era digital, tudo mudou. Por isso, cada vez mais empresas procuram saber como anunciar no YouTube.

A plataforma nasceu em 2005 e tornou-se o segundo site mais acessado do mundo, perdendo apenas para o Google, companhia da qual o YouTube faz parte. Apenas com essa informação, já conseguimos perceber o fenômeno que os vídeos se transformaram. Logo, se o anunciante quer alcançar um público grande e causar boa impressão, apostar em campanhas audiovisuais é, sem dúvidas, a escolha ideal.

Quer saber se vale a pena anunciar no YouTube, descobrir o formato mais indicado e conhecer o passo-a-passo para divulgar o seu primeiro anúncio? Continue lendo e confira!

Vale a pena anunciar no YouTube?

Caso você produza um material de qualidade, segmente bem a sua campanha e tenha uma boa estratégia de conteúdo, saiba que não haverá desperdício financeiro. Em anúncios no formato True View, por exemplo, você só paga quando o usuário assiste ao vídeo durante 30 segundos ou interage de alguma maneira, como cliques em CTAs, banners e miniaturas.

Mesmo na modalidade bumper, em que o vídeo é reproduzido por seis segundos e não há a opção de pular o anúncio, ainda é vantajoso, pois você sabe que ele será visualizado integralmente. Nesse caso, a cobrança será por impressão.

Fora a questão financeira, existem diversos benefícios em anunciar no YouTube. Entre eles, podemos citar:

  • o site conta com mais de 1 bilhão de usuários, portanto, tem muito alcance;
  • é você quem define o orçamento da campanha;
  • é possível segmentar os anúncios por palavras-chave ou perfil demográfico;
  • você pode monitorar o desempenho das campanhas e saber mais sobre o seu público-alvo por meio do Google Analytics.

Qual é o formato de anúncio mais indicado?

Assim como todas as ações de marketing digital com vídeos, tudo depende da sua estratégia. Se você precisa educar seu público sobre um produto ou serviço, um material de longa duração é uma ótima escolha. Caso seu objetivo seja só divulgar uma promoção, um banner pode resolver bem essa questão.

Poucos se dão conta, mas, além de vídeos, a plataforma permite que você insira anúncios gráficos. Sendo assim, você tem mais opções na hora de criar uma estratégia promocional. Porém, o impacto é menor comparado ao conteúdo audiovisual.

Veja abaixo os principais formatos de anúncios permitidos pelo YouTube!

Anúncios gráficos

Os anúncios gráficos existem desde antes do surgimento do YouTube. Você já deve ter se deparado com vários deles em sites, blogs e portais de notícias. Normalmente, são imagens estáveis com um texto informativo e um CTA. Esse formato só pode ser visualizado em computadores e fica na lateral direita do vídeo.

Anúncios de sobreposição

Apesar de também serem gráficos, os anúncios de sobreposição dificilmente são ignorados. Isso acontece porque eles aparecem sobre o vídeo, na parte inferior, e ocupam 20% do espaço. Essa opção é bastante indicada quando você quer direcionar o espectador para o site da sua empresa.  

Anúncios puláveis em vídeo

Talvez seja esse o formato mais conhecido pelos usuários do YouTube. O anúncio é reproduzido antes, durante ou depois do vídeo principal, sua duração é mais longa que os demais e o espectador tem a escolha de pular após cinco segundos. Uma das grandes vantagens desse modelo é que ele funciona em qualquer dispositivo, como TVs, tablets, smartphones e computadores.

Anúncios não puláveis em vídeo

Os anúncios não puláveis possuem 15 ou 20 segundos de duração e, como o próprio nome sugere, o espectador deve assistir ao vídeo inteiro para acessar o conteúdo principal. Alguns anunciantes têm receio em optar por esse formato, pois os usuários podem se sentir incomodados. Os criadores de conteúdo discordam, afinal, essa é uma excelente maneira de aumentar a receita do canal.

Anúncios bumper

Se você faz parte da lista de anunciantes que têm dúvidas em relação à modalidade anterior, essa pode ser uma boa saída. Apesar de serem não puláveis, os anúncios bumper têm curta duração, apenas seis segundos de vídeo. Portanto, sua mensagem deve ser curta e impactante — é a opção ideal para criar reconhecimento da marca.  

Cartões patrocinados

Os cartões patrocinados, também chamados de cards, aparecem por poucos segundos sobre o vídeo, na lateral direita, e são clicáveis. Geralmente, são conteúdos ou produtos relacionados ao conteúdo em questão. É necessário que o cartão seja realmente relevante ao espectador.

Quais são os passos para começar a anunciar?

Dependendo do tipo de anúncio que você vai veicular, as configurações sofrerão algumas alterações, mas há poucas diferenças. Basicamente, os passos são os seguintes.

  1. Crie o seu vídeo;
  2. Faça o upload em seu canal no YouTube;
  3. Acesse sua conta no Google Ads;
  4. Clique em campanhas;
  5. Clique no botão “+” para começar uma nova campanha;
  6. Selecione o tipo de campanha. Nesse caso, você deve clicar em “vídeo”;
  7. Escolha uma meta: leads, tráfego do site, consideração de produto e marca, alcance e reconhecimento da marca ou criar uma campanha sem meta;
  8. Escolha o nome da campanha;
  9. Defina o orçamento (pode ser diário ou total da campanha);
  10. Escolha a data, locais e redes para que a sua campanha seja exibida;
  11. Nomeie seu grupo de anúncios;
  12. Segmente a campanha de acordo com o perfil do seu público-alvo, palavras-chave, tópicos e canais;
  13. Cole a URL do vídeo que você deseja veicular;
  14. Escolha o formato (in-stream, discovery, bumper ou out-stream);
  15. Clique em “Salvar e Continuar”.

Feito isso, sua campanha está pronta para ser veiculada. É fundamental que você monitore o desempenho dos anúncios constantemente para mudar a sua estratégia, caso haja necessidade. Dessa forma, seus índices, como taxa de conversão e retorno sobre o investimento, tendem a crescer.

O que muitos veem como capricho desnecessário, outros enxergam uma grande oportunidade. Saber como anunciar no YouTube e conhecer boas práticas de marketing digital pode tornar uma marca desconhecida em um nome de destaque no mercado. Porém, saiba que a sua empresa deve estar preparada para atender aos novos clientes que surgirão.     

Compartilhe este artigo nas redes sociais para que seus amigos também saibam como anunciar no YouTube e, assim, aumentar suas vendas!

6 dicas para melhorar a comunicação interna na empresa com vídeos

Uma boa comunicação interna na empresa é fundamental para manter os colaboradores informados e motivados. Desse modo, eles conseguem ficar alinhados com os objetivos institucionais e, consequentemente, gerar resultados positivos. A utilização de vídeos para esse fim pode ser uma excelente escolha.

Os materiais audiovisuais costumam despertar mais o interesse das pessoas quando  comparados às demais mídias. Não é por menos que grande parte das marcas presentes nas redes sociais têm aumentado o investimento na produção de vídeos. Assim, elas conseguem mais visualização e engajamento em suas publicações.

Quer saber como utilizar os vídeos para melhorar a comunicação interna da sua empresa? Continue lendo e confira nossas dicas!

1. Faça vídeos de perguntas e respostas

Conteúdos com perguntas e respostas são ótimos para esclarecer pontos importantes. Imagine, por exemplo, entregar um texto enorme impresso em folhas sulfites aos funcionários para que eles entendam as diretrizes da instituição. É provável que muitos deles nem se deem ao trabalho de ler o documento. Seus colaboradores conseguem absorver o conteúdo com mais facilidade por meio dos vídeos.

2. Deixe seus conteúdos com um ar mais descontraído

É claro que seu objetivo principal deve ser a informação e não o entretenimento. Contudo, você pode transmitir a sua mensagem de maneira mais leve e menos cansativa. Pequenos cuidados, como cenário e linguagem empregada, ajudam a passar um ar de naturalidade para não deixar os membros da sua empresa entediados logo no primeiro minuto.

3. Ilustre o que está sendo narrado

Especialmente nos vídeos educativos, as ilustrações auxiliam os expectadores a entenderem melhor o teor da mensagem. As imagens devem ser utilizadas para complementar o áudio e facilitar a comunicação entre a empresa e seus colaboradores. Os vídeos animados são bons exemplos disso. Portanto, faça o uso de todos os recursos necessários para obter bons resultados.  

4. Dê voz aos colaboradores

O engajamento e a valorização dos funcionários são essenciais para o bom funcionamento do seu negócio. Sendo assim, você deve pensar em estratégias para incentivá-los a agirem de tal maneira e sentirem que estão sendo reconhecidos pelo bom trabalho. Vídeos com depoimentos dos colaboradores e respostas às perguntas frequentes são boas opções.

5. Utilize técnicas de storytelling

Além de tudo o que foi dito até agora, uma excelente forma de prender a atenção do público é contar boas histórias é nisso que consiste o storytelling. Quando você cria uma ligação emocional com os espectadores, as chances de imersão no conteúdo são maiores. No entanto, lembre-se que uma boa narrativa deve ter início, meio e fim. Logo, evite dar voltas para chegar a lugar nenhum.

6. Faça videoconferências

Nem sempre conseguimos nos expressar adequadamente apenas por meio de textos. O mesmo acontece com as ligações, ficamos limitados por não contarmos com recursos multimídias quando falamos ao telefone. Então, a melhor maneira de evitar ruídos na comunicação é realizar videoconferências. Assim, não há desentendimentos com seus colaboradores ou parceiros comerciais.

Como você pôde perceber, existem diversos modos de melhorar a comunicação interna da empresa utilizando vídeos. Não basta apenas transmitir uma mensagem, é preciso se certificar que o receptor, de fato, entenderá o assunto difundido. Além do mais, com essa estratégia você consegue prender a atenção do público-alvo.

Quer ser notificado por e-mail quando publicarmos um conteúdo novo? Assine nossa newsletter!

Entenda agora a diferença entre publicidade e propaganda

Ainda que muitas pessoas tratem publicidade e propaganda como sinônimos, mesmo no meio profissional, o conceito de ambas é diferente e merece atenção. É importante ressaltar que as áreas têm propósitos distintos, apesar de serem ferramentas promocionais para a divulgação de serviços ou produtos.

Mas afinal, você sabe qual é a real diferença entre publicidade e propaganda? Neste post vamos esclarecer o que cada uma significa, apresentar seus objetivos e dar exemplos para você não errar nunca mais. Confira!

O que é publicidade?

Vamos começar pela etimologia da palavra. Publicidade vem do latim publicus, que significa tornar algo público. Ela é voltada exclusivamente para a comunicação comercial, ou seja, quando uma empresa ou organização deseja promover seus produtos ou serviços para convencer o público a adquiri-los.

A publicidade utiliza diversos meios de comunicação para divulgar sua mensagem, como rádio, TV, revistas, internet e jornais. Somos bombardeados a todo momento por marcas, produtos e serviços dizendo o que precisamos e o que eles oferecem.

Com isso, podemos concluir que a publicidade tem o objetivo de captar a atenção do consumidor com a esperança de convertê-los em clientes. Geralmente, para que isso ocorra, as empresas contratam agências de publicidade que terão a função de encontrar formas mais criativas para divulgar os serviços e/ou produtos da contratante.

Por exemplo: quando determinada empresa de roupas deseja lançar uma coleção nova, ela contrata uma agência de publicidade para criar layouts, vídeos, textos, áudios etc. Depois, o cliente aprova toda a estratégia e o material passa a circular nos veículos de comunicação para atrair nossa atenção e nos convencer a comprar os produtos.

O que é propaganda?

Propaganda vem do latim propagare, que significa propagar. Ao contrário da publicidade, que tem interesses comerciais, a propaganda é utilizada por organizações ou pessoas que desejam propagar uma ideologia, doutrina ou conceitos. Ela é focada no psicológico das pessoas, visando alcançar suas emoções e opiniões.

Para que isso aconteça, a propaganda utiliza de diversos meios de comunicação como rádio, TV, panfletos, internet, revistas e jornais. A diferença da publicidade está apenas em seu conteúdo.

Podemos concluir que a propaganda tem como objetivo chamar sua atenção para que você faça parte do mesmo pensamento que eles. É focada totalmente em suas emoções e busca atingir o público por meio de valores morais, religiosos, culturais etc.

Campanhas eleitorais são exemplos práticos de propaganda. Os candidatos fazem de tudo para alcançar os eleitores a partir de campanhas emocionais, religiosas, culturais, entre outras formas. São os caminhos que eles encontram para gerar identificação com o público por meio de ideologias.

Outros exemplos de propagandas são as campanhas de alistamento militar. Elas não têm o objetivo de vender algo, mas alertar para uma necessidade real. Assim, utilizam mecanismos e frases de efeito para gerar a vontade nos jovens de fazer parte da história do país.

Atualmente, o vídeo é a preferência da população para consumir informação. Por isso, apesar da diferença entre publicidade e propaganda, saiba que ambas utilizam essa ferramenta como estratégia para alcançar o público-alvo. Um vídeo criativo e bem produzido é fundamental para o sucesso da campanha da empresa.

Agora que você sabe a diferença entre as áreas citadas e que os vídeos estão entre os principais veículos para divulgação, saiba por que deve usar vídeos animados em sua estratégia de marketing.

Vídeo em motion graphics: como podem ser aplicados nas empresas?

Se você costuma bolar campanhas de marketing de grande alcance, muito provavelmente já conhece os benefícios do vídeo e sabe como ele pode atrair clientes para o seu negócio. Afinal, além de ser uma forma de chamar a atenção do público, os conteúdos audiovisuais conseguem transmitir as mensagens de maneira clara e eficiente.

Graças à internet e às redes sociais, ficou mais fácil produzir e disseminar esses materiais: qualquer pessoa consegue gravar um vídeo em poucos segundos com a câmera do smartphone e publicá-los online. Existem diversos modelos que podem ser explorados pela sua empresa. Hoje falaremos especificamente sobre o vídeo em motion graphics.

Mas saiba que é possível ser mais criativo do que isso sem precisar de uma megaprodução! Continue a leitura e entenda o que é motion graphics, quais são seus benefícios e quais formatos podem ser explorados pela sua empresa.

O que é um vídeo em motion graphics?

Resumidamente, podemos dizer que é a união do design gráfico com o cinema. Trata-se de uma técnica de animação que dá movimento aos elementos inseridos no material audiovisual. Assim, você consegue passar uma ideia bem elaborada de modo bastante simples.

Esse recurso, apesar de ser uma tendência de marketing atual, já existe há muito tempo. Ele sempre foi utilizado em vinhetas de programas de TV e filmes, por exemplo, mas agora também identificamos o motion graphics em campanhas publicitárias, videoclipes e outros.   

Sua produção consiste em reunir imagens, áudios e textos em um software, como o After Effects, dando vida a esses elementos e contando uma história. Desse modo, a criação é realizada de maneira mais ágil e menos onerosa, se comparada a outros tipos de produção.

Como ele pode contribuir para a imagem da empresa?

Em geral, os vídeos são atraentes aos olhos do público e geram bastante engajamento. Ao optar pelo em motion graphics, você consegue obter um grande impacto visual devido às possibilidades que esse método proporciona. Com os inúmeros recursos de áudio e vídeo, é possível criar um conteúdo didático e aumentar a compreensão da mensagem.

Vale lembrar também que o custo com atores, locação e equipamentos de filmagem são acessíveis ou inexistentes (no caso de uma produção completamente digital, por exemplo), fator que otimiza a verba para a produção. Isso significa que, dependendo do objetivo da ação, você será capaz produzir uma grande quantidade maior de materiais por um valor menor.    

Quais são os principais formatos de motion graphics?

3D

Os vídeos em terceira dimensão proporcionam uma profundidade maior por meio de sombras, texturas e reflexos. Essa técnica confere um ar de realismo à campanha, simulando inclusive movimentos de câmera similares aos do cinema. Apesar de ser mais impactante, o 3D requer um pouco mais de trabalho, o que exige um investimento um pouco maior.

Flat

Ao contrário do formato anterior, o flat elimina as sombras, reflexos e iluminação, gerando uma imagem chapada. Os elementos aqui são mais simples e dão clareza ao conteúdo. Quando assistimos a um vídeo flat, temos a sensação de modernidade e inovação. De modo geral, esses materiais são mais fáceis de serem produzidos e apresentam um custo menor.

Whiteboard animation

A whiteboard animation (ou animação em quadro branco, em tradução livre) é uma das formas mais didáticas de apresentar um conteúdo. Por meio dele, você consegue tornar um assunto complexo em algo compreensível — é como se um professor estivesse explicando uma matéria para seus alunos. Enquanto o narrador conta a história, as imagens vão se formando no quadro que está na tela.

Como você pôde perceber, o vídeo em motion graphics pode ser utilizado por empresas de qualquer tamanho e segmento. Há diversas possibilidades a serem exploradas por meio dessa técnica: o importante é construir uma imagem positiva para a sua marca sem precisar de uma produção hollywoodiana.

E você, o que acha dos vídeos que utilizam esse recurso? Lembrou de alguma novidade que não citamos aqui? Conte pra gente nos comentários!  

Você sabe o que é roteiro? A gente explica!

Noa mesa do bar, no marketing digital e no audiovisual: são poucos os que conseguem contar uma história com começo, meio e fim no completo improviso — e ainda receber elogios. O resto do mundo, entretanto, precisa saber o que é roteiro antes de tomar fôlego.

Afinal de contas, a capacidade de causar impacto e emoções distintas na sua audiência é uma arte. Só que toda manifestação artística exige planejamento e uma orientação, por menor que seja, para o artista. É aí que entra o papel do roteiro.

Ao longo deste artigo, nós vamos explicar o que é roteiro e a sua relevância na produção de vídeos, além de apontar algumas dicas para montar o seu e colher, na prática, os benefícios dessa estratégia para o seu negócio. Boa leitura!

O que é roteiro?

Ao idealizar um vídeo, você deve saber, antecipadamente, qual é a mensagem principal da sua história, em quanto tempo ela vai ser transmitida e qual será o processo lógico de filmagem.

Por meio do roteiro, você tem um guia que explica como o seu vídeo vai ser feito. Podemos considerá-lo um mapa com toda a narrativa e o descritivo da história, para que os profissionais envolvidos na produção traduzam a ideia em enquadramentos, cenas e diálogos fiéis.

Logo, é fácil perceber o que é roteiro e onde ele se encaixa na produção audiovisual: ele está na etapa preliminar, antes mesmo de gravar qualquer cena.

Qual é a importância do roteiro?

Agora que vimos o que é roteiro, vamos nos aprofundar na importância desse documento para aumentar o potencial do seu vídeo?

Pense que as grandes cenas da história do cinema só foram perfeitamente executadas porque, antes, os diretores geral e de fotografia tinham em mãos o roteiro e sabiam toda a essência por trás daquela cena. A intenção, a emoção, o objetivo… Tudo já esclarecido.

Com isso, o roteiro permite que os produtores audiovisuais “visualizem” a cena antes de filmá-la. Só que essa não é a única parte relevante em saber o que é roteiro, afinal, ele também é essencial para outras questões, como:

  • facilitar a logística do cronograma de filmagens, antevendo a ordem mais econômica e objetiva para filmagens em menos tempo e com menos imprevistos;
  • evitar que ideias sejam filmadas da maneira errada ou que contenha conceitos redundantes;
  • permitir um planejamento maior para a sua estratégia de conteúdo;
  • reduzir o retrabalho por ter que filmar novamente algo que faltou, na realização do vídeo, e para dar mais consistência ou coerência à produção;
  • auxiliar no processo de pós-produção, quando o material bruto passar pela edição e finalização.

Dessa maneira, seja para um vídeo institucional, um roteiro publicitário ou uma animação, entender o que é roteiro ajuda a otimizar, ao máximo, o seu tempo e investimento para produzir um vídeo mais rápido, com economia e de acordo com os seus objetivos!

Vale destacar, também, a importância de produzir vídeos que realmente impactem a sua audiência. Afinal, mais de um bilhão de horas são visualizados, no YouTube, todos os dias! É essencial produzir um conteúdo relevante e que desperte o interesse do seu consumidor em meio a tantos outros vídeos.

Como fazer um bom roteiro?

Para fazer o seu vídeo viralizar, é inegável a importância de um bom roteiro, em primeiro lugar. A seguir, destacamos alguns elementos prévios que ajudam na elaboração de um material rico para o seu público-alvo:

  • objetivo do vídeo;
  • perfil do público-alvo;
  • prazo para a sua execução;
  • orçamento;
  • formato de vídeo;
  • abordagem (formal ou informal);
  • locações para a filmagem (em locais externos ou em estúdio).

Com essas informações, você já encontra os parâmetros iniciais para criar uma ideia que caiba no orçamento e prazos estipulados. Já tem também um direcionamento inicial a respeito do conceito da mensagem que será transmitida.

Além disso, é crucial que você entenda o perfil do seu consumidor. De nada adianta a criação de um melodrama, por exemplo, se o seu público consome exclusivamente vídeos leves e bem-humorados. Some a isso as nossas dicas abaixo:

Características de um bom roteiro

Especialmente, em uma época de urgências promovidas pelo dinamismo da era digital, você tem que cativar o espectador logo nos primeiros segundos. Não há tempo para “enrolar”, senão o usuário abandona o seu vídeo e parte para o conteúdo seguinte.

Concisão, objetividade e criatividade, então, são os elementos que você deve equilibrar ao longo do roteiro. Além disso, convém saber tudo a respeito das técnicas de storytelling. A arte de contar uma história que emocione, em poucos segundos, é um desafio que só tende a ser enriquecido pelas boas práticas do storytelling.

Quais são os riscos em produzir um vídeo sem roteiro?

Antes de finalizar o nosso artigo sobre o que é roteiro e a sua relevância para o audiovisual, vamos entender quais são os problemas em filmar sem esse guia nas mãos? Para facilitar, reunimos os principais riscos em uma lista que pode servir de checklist para você:

  • o planejamento se torna secundário, já que ninguém vai saber a ordem para filmar as cenas — e sequer saber quais são, de fato, as cenas do vídeo;
  • o orçamento corre sério risco de estourar, pois o roteiro ajuda na logística do cronograma de filmagens;
  • a sequência de ideias pode perder a sua lógica e o poder de impacto com a sua audiência;
  • o tempo de produção da sua equipe é desvalorizado, já que o roteiro ajuda na otimização do trabalho;
  • o retorno pode sair abaixo do esperado, e os elevados custos de produção vão se traduzir em mais prejuízos para o seu negócio.

Ou seja: entender o que é roteiro é apenas uma das partes essenciais para estabelecer uma rotina de produção de vídeos. É ainda mais relevante saber como produzi-lo e fazer uso desse documento para agregar muito mais valor à sua marca, que tem como objetivo encantar a sua audiência por meio do audiovisual.

Se está se perguntando quais ideias podem gerar mais audiência para o seu empreendimento, convidamos você a conferir também os 6 tipos de vídeos que a sua empresa pode explorar!